"Uma coisa tenha custe o que custar: PALAVRA; outra coisa não tenha nunca: UM PREÇO (Dona Isaura)

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Peixes podem prejudicar o ser humano

PH Ferreira Coordenador Federal do Ministério da Pesca e Aquicultura em Santa Catarina



O peixe é uma grande fonte de proteina na alimentação
O seu consumo é incentivado, pois é benéfico para a saúde. Mas alguns fatores tem dizimado as espécies. Métodos de piscicultura não sustentável, por exemplo, vêm causando sério danos. 

Os estoques de peixes se esgotam dos oceanos com o passar dos anos
Para entender mais esta questão dos métodos atuais empregados na criação de peixes, o Huffington Post reuniu algumas informações sobre o assunto. O CicloVivo escolheu sete deles:



1 - Produção


Antigo polo pesqueiro no leste da Europa

À medida que os estoques de peixes se esgotam dos oceanos, reforça-se a indústria da piscicultura, que já era praticada por povos milenares. Mas, para que ela seja sustentável é preciso se atentar a alguns fatores, como explica o professor Doutor Newton Castagnolli, especialista em criação de peixes. 






“Escolher o local adequado, as espécies a serem criadas, a construção das instalações adequadas, fornecimento de ração alimentar adequada, higiene e controle de doenças, captação e tratamento da água”, afirma Castagnolli no artigo do site CPT






Para se ter ideia, em 2006, os americanos comeram uma média de 16,5 quilos de peixe por pessoa, sendo superados apenas pelo Japão e pela China. Nesse mesmo ano, a criação de peixes representou 47% da oferta mundial de alimentos.


2 - Poluição


A psicultura deve ser feita de maneira planejada


Operações de larga escala de piscicultura forçam os peixes a viverem em ambientes pequenos e lotados. O excesso de resíduos de peixe e alimentos não consumidos polui as águas circundantes. Além disso, essas condições aumentam os riscos de doenças e infecções.


3 - Resíduos químicos


Produtos químicos proibidos nos EUA ainda são utilizados em pisciculturas internacionais para o controle de parasitas



Muitos dos produtos químicos proibidos nos EUA ainda são utilizados em pisciculturas internacionais para o controle de parasitas. Devido à falta de regulamentação, esses produtos químicos fazem o seu caminho para a nossa mesa de jantar através da grande quantidade de peixe importados de outros países.


4 - Redes abertas

Fazenda de peixe em rio e com redes abertas


Muitas fazendas de peixes operam com redes abertas. Estes sistemas são extremamente suscetíveis de serem rasgados por predadores a até mesmo durante tempestades. O perigo também é que o peixe escape e quando isso ocorre causam danos irreparáveis ​​aos ecossistemas locais, corrompendo conjuntos gênicos, competindo por fontes de alimento e territórios de criação e propagação de doenças.


5 - Espécies carnívoras


Salmão se alimenta de peixes menores



Algumas espécies presentes do mar podem trazer prejuízos. Neste caso, a manutenção é muito elevada para a fazenda, o que exige muito mais alimentos do que produzem. No caso do salmão, por exemplo, são necessário muitos peixes menores para alimentá-lo.




6 - Tilápia


Criação de tilápias

A tilápia é um dos peixes mais ambientalmente amigável. Uma das razões para isso é que elas podem ser cultivadas em grandes tanques, em vez de piscinas exteriores, tornando-as muito mais acessíveis à aquicultura (produção de organismos aquáticos). Também existem espécies de tilápia herbívoras, que reduzem os custos da alimentação.

7 - Carcinicultura

Fazenda de Carnicultura
A carcinicultura é um das produções mais destrutivas da aquicultura. As florestas de mangue fornecem alimento e abrigo para incontáveis faunas e fornecem vários recursos para pessoas com condições mínimas que vivem em zonas costeiras e dependem delas para seu sustento diário. Entretanto, estes locais também são usados para cultivo de camarão. Nesta produção, frequentemente os manguezais são destruídos pelos criadores, a salinidade da água e do solo circundante se eleva, o que também arruína a terra para a agricultura.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério da Pesca e Aquicultura 
Imagens: Google Imagens

Nenhum comentário: