"Uma coisa tenha custe o que custar: PALAVRA; outra coisa não tenha nunca: UM PREÇO (Dona Isaura)

terça-feira, 15 de maio de 2012

Safra da tainha começa em Santa Catarina

A festa dos pescadores no Leste da Ilha de Santa Catarina ao recolher as redes, na manhã desta terça-feira, começou cedo. Por volta das 6h30min pescadores da praia do Gravatá com canoa a remo cercaram um cardume de tainha. Aproximadamente 1,1 mil peixes foram capturados, mas somados a outros dois lanços, o total deve chegar perto de 2 toneladas.



Os pescadores monitoravam desde a tarde de segunda-feira. O mestre Dedé, que pesca desde os sete anos, acredita que isso é um bom sinal para o começo da safra.
— Começamos com o pé direito e agora saímos daqui só quando a safra terminar.
Na pedra, o cozinheiro do barracão preparava o almoço, que é claro, será tainha.



Na Praia do Gravatá, que fica ao Sul da badalada Mole, havia peixe amontoado sobre a areia pelos pescadores e que será vendido até chegar à mesa dos apreciadores da tainha.

Outros dois lanços  também pegaram cerca de 500 tainhas em Ingleses e outras 200 na Barra da Lagoa. Juntas, as pescarias rendem quase duas toneladas de pescado em um único dia.




A safra da tainha começa nesta terça-feira em Santa Catarina, mas ela já pode ser encontrada "linda e formosa" no Mercado Público de Florianópolis. Segundo os proprietários das peixarias, no último sábado, um lanço do pescado em águas gaúchas trouxe uma leva de aproximadamente 400 quilos de tainha para a Capital. Como a quantidade é considerada baixa, o preço está bem salgado para uma população acostumada a pagar pouco pelo peixe.
As pequenas, que pesam até 700 gramas, vem sem ova e estão custando de R$ 6 a R$ 8 o quilo. Somente uma peixaria tem exposta na vitrina tainhas mais gordinhas e com ovas de encher os olhos. Mas para matar a vontade de comer o pescado mais robusto antes da safra, o consumidor precisa pagar R$ 10 pelo quilo, mesmo preço de meio quilo de salmão.
— Quanto menos tainha, mais alto o valor e vice-versa. Mas este ano a expectativa é grande. Parece que os pescadores já avistaram muita tainha no mar. Se a safra for boa, o preço vai cair pela metade — afirma o comerciante do mercado Jaisom Furtado da Silva. 
Nas peixarias a informação é de que neste fim de semana já pode ter tainha fresca, com areia e tudo, em grande quantidade no mercado. O preço poderá variar de R$ 4 a R$ 7 pelo quilo, e no auge da safra, R$ 2,50 para quem comprar quantidade maior.
Aqueles que não sabem manusear a tainha ou não gostam do cheiro forte poderá consumi-la nos restaurantes na beira do mar, frita ou em posta, com arroz, batata frita, pirão e salada e até misturada com feijão por um preço bem inferior.
— Nesta época, o cardápio dos restaurantes muda para atrair os clientes. Não podemos afirmar ainda quanto o preço vai baixar, mas vai e é bom para todo mundo, para o pescadores, para o comerciante e para o consumidor — afirma o presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Florianópolis (SHRBS) Tarcísio Schmitt
Fonte: O Diário Catarinense

Nenhum comentário: