"Uma coisa tenha custe o que custar: PALAVRA; outra coisa não tenha nunca: UM PREÇO (Dona Isaura)

sábado, 14 de julho de 2012

Apenas 2 cidades repetem a "Tríplice Aliança" de 2010

Raimundo Colombo (PSD) e Eduardo Pinho e Luis Henrique (PMDB)
Se as eleições municipais são um termômetro para a disputa pelo governo do Estado em 2014, uma análise das alianças nas 20 principais cidades catarinenses permite aumentar a precisão em alguns graus.


Raimundo Colombo e Walter Salvador (PRB) em Blumenau
PRB de Chapecó apoia o PSD
PRB de Imbituba apoia o PSD
Nessa linha, é bom o governador Raimundo Colombo (PSD) começar a se precaver caso deseje manter a coligação que o elegeu na campanha de 2010. os maiores colégios eleitorais, apenas em Chapecó e Concórdia estão reunidos o PSD, o PMDB e PSDB – partidos da tríplice aliança que governa Santa Catarina desde 2002, quando Luiz Henrique (PMDB) foi eleito pela primeira vez. 

Chapecó é o caso único em que a aliança conta com a adesão do PP, que entrou na base governista depois que Colombo assumiu o governo. Nas demais, as movimentações dos partidos apresentam aproximações cada vez maiores do PP com o PSD, o flerte entre o oposicionista PT e o PMDB virando namoro em 10 municípios e sinais de isolamento do PSDB. Com exceção do PSB – sigla satélite do PSD –, o PP surge como o maior parceiro dos pessedistas. 

O partido de Angela Amin, derrotada por Colombo em 2010, apoia o PSD em sete cidades e é apoiado em duas das cinco em que concorre na cabeça de chapa. Em compensação, o PMDB do vice-governador Eduardo Moreira é aliado em quatro – três apoiando o candidato a prefeito do PSD. 

O apoio que falta do velho parceiro surge do antigo opositor. Disposto a repetir em SC a aliança que sustenta Dilma Rousseff, o PT apoia candidatos do PMDB em oito cidades – com a contrapartida em duas. O período que petistas e pepistas dividiram a oposição ainda rende cinco alianças. Em quatro, o PT é cabeça de chapa.


Fonte: Diário Catarinense
Fotos: Cedidas

Nenhum comentário: